Um dos principais motivos de discussões entre um casal está nas finanças, assunto que pode impactar outras áreas da vida conjugal. Mas por que tomar decisões financeiras em conjunto?

Por mais que essa pergunta pareça simples de responder, a maioria dos casais não tem o hábito de conversar sobre o dinheiro, seja durante o namoro ou o casamento.

O resultado é uma taxa de casais infelizes bem alta nesse aspecto.

De acordo com pesquisas apresentadas pelo canal Two Cents, 36% dos casais brigam sobre dinheiro ao menos uma vez por semana.

Com discussões frequentes, as chances de divórcio também aumentam. Estima-se que casais que brigam uma vez por semana tem 30% mais de chances de se separarem.

Essa realidade de brigas constantes pode ser evitada se houver uma boa conversa sobre as finanças.

Indiretamente, ter transparência sobre as finanças ajuda a construir a confiança entre o casal, permitindo que o dinheiro não afete outras áreas da vida conjugal.

Mas por que tomar decisões financeiras em conjunto?

Casal preocupado olhando para um papel. Tomar decisões financeiras em conjunto é importante.

Existem vários benefícios em controlar as finanças em conjunto, mas o momento de tomar decisões sobre a forma de gerir o dinheiro também é importante e traz vantagens.

Ao tomar decisões financeiras em conjunto, o casal compartilha suas metas e sonhos e consegue ter o mesmo grau de importância no direcionamento do que deve ser feito.

Essa transparência também ajuda o casal a se comprometer com um objetivo.

Uma das propostas do MeuCompromisso é permitir que os usuários criem suas metas, os seus compromissos.

Além disso, uma vez que está cada vez mais comum que as pessoas mantenham contas pessoais separadas após o casamento.

Assim, o momento de tomar decisões financeiras em conjunto permite que os casais compartilhem as informações.

E veja como ser transparente sobre o dinheiro é importante: 16% dos casamentos em que os componentes mentem sobre as finanças, terminam em divórcio.

Por isso, busque conversar abertamente com seu parceiro ou parceira sobre o dinheiro, a forma de gerir as finanças e as metas de cada um.

E existem algumas perguntas que podem servir como guia nessa conversa.

O que perguntar em uma conversa sobre finanças?

Ninguém nasce sabendo como cuidar do dinheiro. Por isso mesmo, é comum que os casais não consigam desenvolver uma conversa sobre finanças por falta de conhecimento.

A boa notícia é que isso pode ser mais fácil do que parece!

Para te ajudar na tarefa, existem 5 questões importantes que você pode discutir com o seu parceiro ou parceira. Confira.

1. Quanto você ganha, possui e deve?

Antes de “juntar as escovas de dente”, cada pessoa tem um histórico e uma jornada própria – isso dentro e fora das finanças.

Para saber a real situação financeira, é fundamental conhecer o quanto cada um ganha de salário, quanto possui guardado e quanto deve (se houver dívidas).

Com essas informações, é possível planejar os próximos passos do casal.

2. Como o dinheiro foi tratado em sua casa enquanto você crescia?

Você sabia que boa parte da forma como vemos o mundo e lidamos com as coisas é definida ainda na infância?

Isso também acontece com as finanças. Se seus pais eram muito econômicos, é possível que você tenha herdado essa característica, mesmo se não precisar economizar.

Analisar com o seu parceiro como era lidar com o dinheiro na infância ajuda a entender o mindset da pessoa e definir uma forma mais fácil de tomar decisões financeiras em conjunto.

3. O que será seu, meu e nosso?

No Brasil, os casais não costumam levar a conversa sobre divisão de bens além da decisão no cartório.

Porém, essa conversa é fundamental e deve ser feita ainda na fase de namoro.

Identificar o que será seu, do seu parceiro (a) e de ambos vai ajudar na comunicação.

Vale até definir como as contas em comum serão pagas e quanto vocês vão gastar individualmente.

4. Quanto você está disposto a gastar com filhos?

Se um dos objetivos do casal for ter filhos, é preciso entender quanto cada um está disposto a gastar.

Ainda que educação e saúde sejam os assuntos frequentes no planejamento familiar, é preciso considerar gastos com tratamento para engravidar.

Vale criar uma meta financeira para economizar mensalmente (veja como criar um compromisso no MeuCompromisso para te ajudar na tarefa).

5. Quais são seus objetivos financeiros em ordem de prioridade?

Para tomar decisões financeiras em conjunto o casal precisa estar alinhado em relação aos seus objetivos.

Isso vai ajudar a definir qual o interesse de cada integrante a alcançar uma meta.

Você pode propor que ambos escrevam uma lista com as metas financeiras, em ordem de prioridade.

É possível que vocês encontrem vários pontos em comum e pontos diferentes. E é nesse momento que a conversa clara e direta vai fazer toda a diferença.

Definidas as metas, o casal pode trabalhar em conjunto para realizá-las.

O melhor momento para ter uma conversa sobre dinheiro

Conversar sobre o dinheiro deveria ser algo que acontece ainda no namoro, quando a relação está mais séria.

Porém, boa parte dos casais não têm essa conversa antes do casamento. Se esse for o seu caso, saiba que nem tudo está perdido!

O melhor momento para conversar sobre o dinheiro é AGORA MESMO.

Casal feliz olhando para o computador, após tomar decisões financeiras em conjunto.

E para criar uma rotina, vale estabelecer uma data no mês para que essa conversa aconteça.

Lembre-se de contar com aplicativos como o MeuCompromisso, desenvolvido para controle financeiro e permite que os casais tenham contas compartilhadas.

No MeuCompromisso você também pode criar metas e até conversar sobre determinada transação.

E para evitar gastos desnecessários, os usuários podem utilizar cartões de débito pré-pagos.

Selecione sua loja de app e comece a dar os primeiros passos para uma vida financeira mais organizada. É mais equilíbrio para sua relação.